quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Capítulo 7 - Parte 4

Olá a todos!
Obrigada pelos comentários.

Estela: Obrigada.

Anónima: Obrigada.

Amanda: O Joe é um personagem que não deixa transparecer o que sente. Mas em breve os seus sentimentos vão ser mais explícitos. A Camilla ou é a vilã ou não. Obrigada.

Malu Piazon: Obrigada. Também não gosto de ver sempre a Demi a ser "disputada".

Espero que tenham um Ano 2015 perfeito! Com saúde, felicidade, trabalho/escola.
Quanto a essa parte do capítulo, o mistério continua mas lá para o capítulo 8 as coisas vão melhorar e tudo vai se tornar mais fácil.
Gostaria de saber de que lado vocês estão após lerem o post. Obrigada.

Anteriormente:
"Algum tempo depois, Vanessa guiava até à vila, ainda pensando na mensagem. Zac tinha escrito duas palavras: "Camilla fugiu"."


- Aconteceu tão de repente, Vanessa. - disse Joe Morris, com pena de Vanessa.
- Estou tão triste! Porque é que ela fez isso? - suspirou ela.
Ela estava visivelmente exausta. Todos estavam em casa do Zac. A mãe de Camilla, Rachel Morris, estava calada, com os braços cruzados, olhando para uma moldura na sala de Zac. Estava séria. Vanessa se aproximou dela.
- Sra. Morris, lamento. Sei que não merecia isso depois da morte do seu marido.
Rachel Morris se virou para Vanessa.
- Vanessa, por favor, não me trate como se fosse uma velha. Eu sabia que a Camilla iria fazer isso mais cedo ou mais tarde, ela nunca gostou do futuro que eu lhe dei. Sempre foi uma mal agradecida. Com a morte do pai ela fez o que sempre quis fazer: sair da casa do Zachary e viver a sua própria vida. Mal ela sabe que a vida é dura lá fora.
Vanessa olhou para Joe e Zac. Eles olhavam sérios para Vanessa.
- Tia, do que está falando? - Joe perguntou à mãe de Camilla.
Rachel Morris mandou um pequeno riso.
- Vocês vão saber em breve. Sei que a Camilla vai dar sinais de vida em breve.
- Ela ia para Verona comigo. Eu disse-lhe isso e ela parecia gostar da ideia quando lhe falei nessa última vez. - disse Vanessa.
- Ela gosta de Verona, Vanessa. Mas ela não é a dona da mansão. Foi dada a esse garoto aqui que não soube bem o que fazer com ela. - disse Rachel olhando para o sobrinho com um olhar raivoso.
Joe olhou para a tia.
- Se Verona tivesse ficado comigo, hoje toda a família ficaria bem. - acrescentou a tia de Joe.
Vanessa tentou entender o que a tia de Joe falava, mas foi em vão. Ela entendeu cada vez mais que algo se passava.
- A única coisa que ela fez foi escrever uma carta para mim. - disse Zac, travando toda a conversa obscura. Ele pegou na carta e entregou a Joe, que a leu em voz alta.

"Zac,
eu não aguento mais a minha vida assim. Não sou feliz e decidi me afastar daqui.
Se eu acabar por morrer, acabará por saber e irá fazer o velório.
Eu preciso de ter uns dias de felicidade, nem que seja nos últimos dias da minha sobrevivência.
Quero que saiba que gosto muito de você e que não queria te magoar.
Toma conta da Liliane por mim. Eu amo muito ela, mas preciso de me restabelecer.
Beijos,
a sua (ex) mulher,
Camilla Morris Watson"

- Ela pensa que ela é que te magoou?! - Joe falou com rancor - Você é que sempre a desprezou, Zachary! Você é cruel! Me arrependo todos os dias de te ter colocado em Verona.
Vanessa entendeu que este encontro da família levantava muitas questões do passado ainda por resolver. Felizmente, a filha de Zac e Camilla, Liliane, estava na escola, e Selena estava em sua casa na companhia de Demi.
- Você não sabe de nada, Joseph! - atacou Zac.
- Sei que a minha prima ficou doente por beber tanto a fim de acalmar a sua dor de se casar com você. Ela se casou por amor e você só a desprezou.
A mãe de Camilla via tudo aquilo com uma expressão estranha no rosto. Vanessa estava sem reação.
- Ela era obcecada por mim, Joseph! Eu nunca fiz mal algum à Camilla! Ela quis casar comigo.
- Seu idiota!
Joe deu um murro no rosto de Zac. Joe estava transtornado.
- Por sua culpa a minha prima está sozinha, andando sabe-se lá por onde! Eu te garanto Zachary, se acontecer alguma coisa à minha prima, você vai pagar!
Zac colocou a mão no rosto. Tinha se agarrado a uma mesa. Vanessa e Rachel Morris estavam chocadas com a brutalidade de Joe. Nenhuma teve reação.
- Faça isso Joe! Termine com o pouco que havia da nossa amizade. - falou Zac, mostrando alguma tristeza. Mas não podia! Ele era Zachary Brown. Zac não podia ficar triste. Não era natural nele.
- Esqueça a minha amizade, Zachary! Me arrependo de ter pedido ao meu avô para te abrigar em Verona. Você merecia ter morrido sozinho. Você é malvado, mesmo. Você é cruel! - e dizendo isso, saiu de casa do Zac, transtornado.
Zac se ajeitou. Vanessa, que ainda estava em choque, despediu-se de Zac. Rachel Morris apenas olhava para Zac, séria.
- Até breve, Zachary Brown. Não se preocupe com a minha filha. Ela vai regressar. Acredito nisso. - disse ela, saindo de casa de Zachary.
Vanessa ficou olhando para Zac antes de sair da sua mansão. Zac olhava com uma expressão estranha para Vanessa. Ela se afastou dele, após alguns segundos o olhando.

Termina aqui.
Grande discussão entre Zac e Joe. O que acham desse mistério? Têm alguma ideia do que possa ter acontecido?
Afinal quem é o vilã/o? A Camilla ou o Zac?

Beijos e Feliz Ano 2015!

domingo, 28 de dezembro de 2014

As Melhores de 2014

Olá a todos!
Estou muito feliz após ver o post com os resultados da votação "As Melhores de 2014". Post Aqui.
Eu consegui ter o primeiro lugar na categoria de melhor mini-fic, e ganhei o segundo lugar nas categorias de melhor história/fanfic de 2014 e melhor escritora.

Tenho aqui os meus prémios:




Eu não conseguiria isso se não fosse com a vossa ajuda. Mesmo pensando que não tenho ninguém lendo e se estão a maioria são leitores fantasmas, vocês mesmo assim me ajudaram e votaram nas minhas duas histórias.
Muito obrigada pelos vossos votos! Estou muito agradecida mesmo!
Deveriam se manifestar para eu não pensar que deva excluir o blog. Nem que comentem uma vez de vez em quando.

Quanto aos outros nomeados, os meus parabéns. Mesmo alguns não tendo ganho, eles já são uns vencedores!

O próximo capítulo vem daqui a uns dias para vos dar uma prenda de último dia de 2014. Obrigada pelos comentários da Estela, Anónima, Amanda e Malu.

Beijos.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Capítulo 7 - Parte 3

Olá a todos!
Obrigada pelo comentário, Anónimo. Esperava por mais comentários mas acho que a história não está do vosso agrado.
Comentem para saber se devo continuar ou não.
Não foi só a falta de comentários que me fez não postar. No dia 17 de Dezembro o filho do meu pai e da minha madrasta nasceu (é verdade, tenho mais um meio irmão). E finalmente é um menino! Esse acontecimento me fez esquecer por momentos o blog. Peço desculpa.
Espero que gostem desta parte do capítulo.
E Feliz Natal!

Anteriormente:
"- O meu primo não me contou o que realmente o levou a fazer isso. Os Morris sempre tiveram um comportamento fora do comum. Somos selvagens e imprevisíveis.Todos nós fazemos coisas loucas quando somos jovens. Por nós mesmos ou a mando de outras pessoas que tinham controlo sobre nós. - Camilla parecia pensativa enquanto falava. Vanessa tentou descodificar o que estava por trás das frases de Camilla. Algo se passava, disso tinha a certeza."


Alguns dias se passaram, Camilla estava vivendo com Zac em sua mansão e saia às vezes para a vila com ele. Estava triste e apagada mas mostrava sinais de boa saúde. Joe e Selena continuavam namorando e felizes. Nick tentou conversar mais com Selena mas Joe estava sempre por perto. Demi tentava apagar Nick da memória e, principalmente, do coração. Numa tarde, Joe vai a casa de Selena e quando se preparava para sair de casa, ouve alguém chorando. Demi estava chorando na cozinha. Se preocupou e foi ter com ela.
- Você não está nada bem, Demi. Se eu puder ajudar...
- Como é que eu posso ajudar a Selena se nem os meus problemas eu resolvo, Joe? - inquiriu ela, olhando para ele, passando a mão pelo rosto, limpando as lágrimas.
Joe respirou fundo.
- Algum problema? Eu posso te ouvir. Sou bom ouvinte. - ele se aproximou dela.
- Não é nada, não. Não necessita de me ouvir. Isso passa!
- Deixa adivinhar: É o Nicholas? - perguntou ele, se aproximando dela e a olhando, sério.
Demi hesitou.
- Você sabe que é, não sei porque pergunta.
- Você gosta dele? Ama ele?
Demi confirmou.
- Mas ele não me ama, ele ama a Selena e vai amar sempre.
Joe respirou fundo.
- Não acredito que ele ame a Selena. Se ele a amasse, não iria para Itália. Você tem chance com ele, Demi.
- Ele quer a Selena, ele deseja ela.
Joe respirou fundo.
- Eu sei que ele tem uma estranha obsessão por ela. Acredito nisso!
- Você também tem. - acusou Demi, magoada. Joe iria para falar mas Demi continuou - Porque vocês só querem saber da Selena? Me expliquem, o que ela tem de especial? Não venham com essa história de ela ser esquizofrénica, nesse caso estão com ela por pena. Ela nem rica é. Os pais dela eram pobres e o pai da Vanessa ficaria na falência se ela não casasse com o milionário americano. A Vanessa tem dinheiro agora graças ao marido, mas a Selena é prima dela, não tem total direito do dinheiro da Vanessa.
Demi retomou a chorar, Joe colocou a mão no ombro da enfermeira.
- Demi, eu gosto da Selena, eu sempre fui apaixonado por ela. Até mesmo na altura em que éramos crianças. Eu e ela fomos criados em Verona, aquela mansão bem sabe o que eu passei com a Selena.
- Você não ficou com a mansão, você vendeu a mansão depois de todo esse tempo sem entrar nela.
Joe ficou pensativo.
- Eu tomei uma decisão. Foi difícil mas tomei. Aquela mansão tem muitas coisas que quero esquecer. Mais coisas que quero esquecer que guardar na memória.
- Você foi criado em Verona. A sua prima Camilla adora a mansão, a Vanessa e a Selena também gostam dela. Porque você não gosta?
- Más recordações, Demi. Tenho más recordações daquela mansão. Só de entrar lá dentro me vêm memórias tristes. Até mesmo o seu cheiro. Mesmo sendo antiga continua pairando um cheiro muito especial.
- Aquilo deve ter muitas coisas guardadas, muitas coisas antigas. - Demi tinha parado de chorar e encarava Joe.
- Não - ele negou com a cabeça - todas essas coisas já não estão na mansão.
- Estão onde?
- Algumas estão na sepultura do meu avô. A mansão era dele, ele ficou com algumas coisas. Os móveis continuam lá em Verona, e as cartas e coisas de valor sentimental estão... - Joe parou de falar.
- Estão? - perguntou Demi.
Joe respirou fundo e baixou a cabeça.
- Estão em minha casa, Demi.
- Você tem as recordações mais valiosas dessa casa?! - inquiriu Demi, chocada.
- Sim. Acho que tenho tudo comigo.
- A Vanessa achou que as tinha deitado fora. Aliás, ela começou a te odiar por isso!
- Eu nunca mais vi essas cartas. Algumas nem sequer li pela primeira vez. É um passado que não deve ser remexido.
- Mas isso é o passado da vossa família!
- Que eu quero esquecer, Demi. - falou ele, levantando a cabeça, olhando para os olhos de Demi.
Ela ficou parada, não sabia mais o que dizer. Estava chocada com a revelação do Joe. Como uma conversa sobre o Nick iria levar ao passado daquela família?! Joe sabia muitas coisas. Joe tinha tido posse da mansão. Verona é a mansão da família deles. A mansão Verona que Vanessa tenta concertar. Joe tinha todas as cartas e coisas sentimentais da família. Ele não deitou nada dessas coisas fora. Joe tinha tudo em sua posse. Inacreditável!
Joe se afastou um pouco de Demi.
- Acho que a nossa conversa termina aqui. Demi, peço que você não conte nada dessa nossa conversa a ninguém, nem mesmo à Selena. Ela nunca me iria desculpar por ter guardado as coisas da família sem contar a ninguém. O passado tem que estar no passado. Só não me desfiz dessas coisas porque são sagradas para muitas pessoas. - fez uma pausa - E quanto ao Nick, acho que você deveria falar com ele. Vá em frente! Tenha quem você quer. A Selena não ama o Nick. Ela já o esqueceu. E não estou falando isso por ser namorado da Selena. Eu tenho a certeza disso. O Nick vai ter que perceber isso.
E calmamente, saiu da cozinha e atravessou a sala saindo de casa da Selena.

Nessa manhã, inesperadamente, Vanessa recebeu uma mensagem de Zac. Estava em casa de Miley, fazendo-lhe uma visita. Ela leu, mas não acreditou nela. Sentiu-se tonta e apoiou a mão na mesa para não cair. Sentando-se no sofá, releu a mensagem. O seu corpo começou a tremer, como se ela estivesse com febre. Miley observava Vanessa, preocupada.
- O que aconteceu? Alguma notícia ruim?
- A minha prima Camilla fugiu.
- A sua prima Camilla? - Miley ficou chocada.
- Preciso saber o que aconteceu. Tenho que ir a casa do Zachary.
Algum tempo depois, Vanessa guiava até à vila, ainda pensando na mensagem. Zac tinha escrito duas palavras: "Camilla fugiu".

Termina aqui.
Esse foi seguramente o mais misterioso dos capítulos.
Joe guardou afinal todas as recordações de Verona e Camilla foge.
O que acharam do capítulo? Gostava de saber a vossa opinião.

Beijos.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Parabéns Diana!

Olá a todos!
Hoje faz anos uma pessoa que eu gosto muito.

Ela é uma escritora no Blogger de histórias como "Encontro com o 666", "Noiva do Irmão" e "A Escola do Terror".
Ainda não sabem quem é? Vou ser mais especifica...

Ela escreveu sobre o triângulo amoroso Angelina/Bernardo/Carolina, escreveu uma das melhores histórias de drama com Noiva do Irmão e criou uma enorme comédia com as personagens Ana Carretas/Fantasia dos Prazeres e Ana Catarina/Desejos Proibidos.

Acho que já entenderam quem é...


Hoje, dia 15 de Dezembro, faz anos esta escritora que tanto gosto. Espero que ela continue por muitos anos escrevendo.

Parabéns Diana!

domingo, 14 de dezembro de 2014

Happy Birthday Vanessa Hudgens!

Olá a todos!
Hoje a eterna Gabriella Montez de High School Musical faz 26 anos (14 de Dezembro de 1988).

Sendo Nessasaur não podia deixar de postar isto.






Essa linda mulher está agora a desempenhar GiGi! Que orgulho!

Happy Birthday Vanessa Hudgens!

sábado, 13 de dezembro de 2014

Happy Birthday Taylor Swift

Olá a todos!
Hoje, a loirinha faz 25 anos. (13 de Dezembro de 1989).


 Não me considero fã dela mas essas novas músicas dela eu não consigo deixar de ouvir:





Happy Birthday Taylor Swift!

domingo, 7 de dezembro de 2014

Capítulo 7 - Parte 2

Olá a todos!
Obrigada pelos comentários, Anónimos. Vão saber em breve quem é o vilão ou vilã.
Espero que gostem deste capítulo.
Para quem estava com saudade da Camilla, ela vai aparecer.
Mais mistério na história! Mas não se preocupem, mais à frente vão perceber quem é o/a malvado/a.

Anteriormente:
"- Realmente, aquele homem metia medo. Tive receio até de apertar a mão dele ao sair do enterro do seu tio.
Vanessa sorriu. Miley não conhecia bem Zachary Brown, mas se ela até teve uma má imagem dele, todos deveriam estar certos dele fazer mal a Camilla."


Algumas horas depois, ela estava na mansão de Joe, o seu primo. Ela queria mais informações da chegada de Camilla a casa.
- O menino Joseph saiu, menina Foster. A menina Camilla saiu hoje do hospital e ele foi buscá-la. - disse a empregada a Vanessa.
- Foi buscar a Camilla? Mas ela não vai regressar a casa do Zachary?
- Não sei bem. A menina Camilla deveria mas parece que houve um entendimento entre a senhora Morris e o sobrinho. Parece que a Camilla vai morar com a filha na casa da mãe.
Vanessa balançou a cabeça agradecendo à empregada do primo e se afastando da mansão.

Vanessa foi até casa do Zachary e viu Joe falando com Zac à entrada da grande porta. Se aproximou deles.
- Oi Vanessa. - saudou Joe.
Zac apenas olhou para ela.
- Quero ver a minha prima. - disse Vanessa.
- Eu sabia que só a Camilla a traria aqui neste momento. - falou Zac, sério.
- Você não pode proibi-la de ver a prima. - confrontou Joe.
- E quem é você para me dizer isso? A casa é minha! - reagiu Zac.
- Mas a Camilla é nossa prima. Você tem o dever de deixar a Vanessa vê-la.
- Ela não ia ver a filha? - perguntou Vanessa.
- Ia, disse bem Vanessa - começou Zac - Eu não deixei. A mãe dela não a quer lá. A Camilla só pode ver a filha quando a mãe sair de casa.
- Você é um idiota! - gritou Joe, transtornado.
- Calem os dois! - gritou Camilla aparecendo no portão.
Vanessa olhou para Camilla, surpresa. A prima estava melhor desde a última vez que a viu, os olhos castanhos, mais gordinha...
- Cam! - exclamou Vanessa para a prima, indo até ela a abraçando. Camilla abraçou Vanessa também. Joe e Zac ficaram as olhando, calados.
Vanessa, após o abraço, olhou para Zac:
- Posso falar com a minha prima a sós?
Zac afirmou com a cabeça sem hesitar. Notou que os olhos de Joe faiscavam sobre ele. As duas primas entraram para dentro da casa de Zac enquanto os dois retomaram a sua conversa, mais civilizada.
- Então Cam, como você está prima?
- Estou bem, Nessa, agora estou bem. - respondeu ela se sentando no sofá da sala dele.
Vanessa sorriu.
- Estou tão feliz que você recuperou. Não imaginava que você pudesse melhorar após a morte do seu pai. Você foi muito forte!
Camilla sorriu.
- Quero que você me garanta uma coisa: - Camilla ficou olhando séria para Vanessa, ela continuou - Pare de beber. Não beba mais! Não estrague a sua vida! O meu pedido para ir viver comigo para Verona continua de pé.
Camilla sorriu.
- Talvez eu vá para lá, Nessa! Eu tive muitas boas recordações do nosso tempo lá. Foi o melhor momento da minha vida.
Camilla falava mais alegremente, já se notava um sorriso nela após o pedido de Vanessa. Vanessa sentiu isso.
- Que bom que ouvi isso! Da primeira vez que falei isso para você, você disse que queria ficar aqui com o Zachary. Você ainda o ama, Cam?
Camilla ficou surpresa com a pergunta. Vanessa notou que Camilla não sabia o que responder.
- Amo e o odeio. - respondeu ela, por fim - Entende?
- Acho que sim, Cam. Acho que sim.
Camilla mudou de assunto.
- E você? Tem tido alguém após a morte do seu milionário?
- Não. O meu assessor financeiro quis alguma coisa comigo, ele disse que me amava, mas...
- O seu assessor financeiro? - Camilla travou Vanessa.
- Sim. - respondeu Vanessa, séria.
- O Sam Jones, não é? - perguntou a prima.
- Sim, o Samuel Jones, o Sam. - disse a morena, sorrindo.
- O que você fez?
- Eu o afastei. Ele tentou me beijar, disse que me amava e eu tentei fugir dele. Ele continua vivendo em Londres, perto da mansão Verona para me ajudar com a reforma.
- Você ainda ama o Zac? - a pergunta de Camilla fez Vanessa ficar pensativa. Camilla reparou na expressão da prima e sorriu, continuando - Eu sei que você sempre o amou, mesmo ele tendo o seu nome manchado aqui na vila. Julguei que você tivesse o esquecido quando casou com o seu milionário.
- Eu tive uma boa relação com o Terrence mas tudo mudou após a morte dele e...vim para aqui.
- Porquê? Porque veio para aqui? Para rever o Zac?
- Não, para rever a minha família, a minha prima Selena, você.
- Não deveria se preocupar comigo, Nessa. Realmente não deveria.
- Você é minha prima, claro que me preocupo.
- As pessoas cometem erros. - Vanessa achou estranha a frase de Camilla. A morena mudou de assunto - Já falou com a sua mãe?
- Já. - respondeu Camilla, séria.
- Você e ela não estão bem, pois não?
- Na verdade, nunca tivemos bem.
- Porquê? Problemas do passado? Vocês são mãe e filha.
Camilla olhou para Vanessa, seriamente.
- Ela tem atenção a muitas coisas que eu não dei atenção. E realmente ainda não dou.
- Eu sei que ela queria Verona.
- Sim, mas meu avô não me deu Verona e ela não tinha direito a ela.
- Eu também sou da opinião que você deveria ter tido Verona. Você tinha amor a essa mansão. O Joseph só a vendeu para ter dinheiro.
- O meu primo não me contou o que realmente o levou a fazer isso. Os Morris sempre tiveram um comportamento fora do comum. Somos selvagens e imprevisíveis.Todos nós fazemos coisas loucas quando somos jovens. Por nós mesmos ou a mando de outras pessoas que tinham controlo sobre nós. - Camilla parecia pensativa enquanto falava. Vanessa tentou descodificar o que estava por trás das frases de Camilla. Algo se passava, disso tinha a certeza.

Termina aqui.
E essa conversa estranha entre Camilla e Vanessa? Conseguiram descodificar?

Beijos.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Fui nomeada para "As Melhores de 2014"

Olá a todos!
Hoje foi o último dia da pré-indicação para a votação de "As Melhores de 2014" e eu perdi uma categoria: A de "Melhor História/Fanfic Escrita".

Melhor História/Fanfic de 2014:
- A Vingança de Sílvia.
- Almost Loved de Amanda.
- Uma Vida Eterna de Diana.
- Cruzada de Ilka.
- Meu Amor é Doutro de Erii e Elda.
- Effect Wolf de Maicla Moura.
- Don't Say Goodbye de Estela.
- Thief of Hearts de Fofolety.
- Eu amo Miley Cyrus de Amy Jonas.
- Inspiration II de Tatii.

Melhor Escritora:
- Suzanny do blog Give Me Love.
- Diana do blog Um Segredo Bem Guardado.
- Sílvia do blog A Vingança.
- Amanda do blog Almost Loved.
- Letícia Alvares do blog The Way I Love You.

Melhor Mini-Fic:
- O Amor Acima do Preconceito de Sílvia.
- Angel de Suzanny.
- Erros de Erii.
- Summer Love de Tatii.

Ganhei um selo por ter sido nomeada. E, mesmo tendo perdido uma categoria, estou feliz porque continuo na votação!



Quem quiser votar é só ler as informações num dos blogs.

Ou no CDF: Nomeações
Ou no Reviver Stories:  Nomeações

E votar.

Votem no melhor, no que vocês acham que merece ganhar.

Beijos.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Capítulo 7 - Parte 1

Olá a todos!
Obrigada pelos comentários. Pensava que não iria ter ninguém lendo.

Anónimo: Obrigada. O outro comentário foi marcado como spam mas já resolvi.

Vanessa Souza: Obrigada.

Amanda: Obrigada. Será que não vai fazer bem à Camilla?!



O dia seguinte foi cheio de atividades e de novidades. Elas alugaram um carro com motorista, já que Vanessa não queria se aventurar no trânsito americano, e viajaram pela Califórnia. Passaram um dia inteiro em San Francisco, admirando as casas.
- Que lindo! - exclamou Miley.
- Romântico, não é? - Vanessa sorriu.
Comeram lagosta num restaurante pertinho do mar.
No dia seguinte, Vanessa teve que fazer as malas para regressar a Inglaterra. Teria que ir ao enterro do pai de Camilla.
- Eu posso ir com você? - perguntou Miley.
- Você está em lua de mel com o Liam.
- Nós já terminámos a nossa lua de mel faz tempo. Aliás, ele deixou que eu fosse raptada por você estes dois dias. - disse ela rindo.
Vanessa sorriu.
As duas fizeram as malas e compraram inúmeras lembranças turísticas. Liam foi com elas no avião.
Assim que regressaram a Inglaterra, Liam se despediu de Miley e deixou as duas conversarem.
Decidiram passar a noite no apartamento de Miley antes de ir ao internato pegar Jonathan. Vanessa colocou a mão sobre o ombro de Miley e disse:
- Acho melhor ir buscar Jonathan sozinha. Você está cansada, Miles.
- Concordo, Nessa. - Miley suspirou - Vá lá e depois te acompanho no enterro. Você precisa de um apoio.
- Vou também passar pela casa do Joe para saber notícias. Ele me mandou uma mensagem dizendo que o enterro iria ser daqui a uns dias e não para já.
- Ok. - respondeu Miley.

Jonathan estava mais adulto e parecia ter crescido. A sua conversa também estava diferente. Falava muito sobre futebol, sobre regras e técnicas do jogo e chamava os amigos pelo sobrenome, como era hábito no internato.
- Você é muito jovem para ser mãe - ele comentou, um pouco contrariado - A maioria dos rapazes da minha turma tem mães gordas e velhas.
- Não posso mudar a minha aparência, meu filho! - ela brincou.
- Você parece até que é minha irmã. Posso dizer a meus colegas que você é minha irmã? Fico um pouco constrangido de ter uma mãe tão jovem.
- Ok. - ela sorriu.
- Como vai a prima?
- Está bastante cansada da viagem. Ela já casou com o Liam.
- Ah, que bom! Desejo tudo de bom para ela. Eu adoro o Liam.

Miley recebeu Jonathan de braços abertos no apartamento. Ela contou diversas histórias da viagem, divertindo o primo com as descrições dos costumes dos países que ele não conhecia. As férias do meio do semestre eram curtas. Os poucos dias passaram logo, foram suficientes apenas para matar as saudades de Vanessa e Miley. Enfim, ele ficou logo equipado com uma bola de futebol atrás. Jonathan iria voltar para o internato. Enquanto Vanessa o levava de carro, ele comentou:
- Gosto do senhor Jones, mas ele parece um professor, não acha, mamãe?
- Tem razão - ela concordou, com um sorriso, pensando na aparência e no comportamento formal de Sam. O seu assessor financeiro era muito diferente das outras pessoas.
- Você...você não vai casar com ele, vai?
- Não, não vou. Tenho certeza.
Jonathan pareceu aliviado.
Vanessa despediu-se emocionada dele e voltou para o apartamento. Sentia cada vez mais que Jonathan se tornava adulto e menos dependente dela. Isso a entristecia, mas, ao mesmo tempo, ficava satisfeita de admirar a sua independência.

Vanessa foi acompanhada por Miley ao enterro do pai de Camilla, dias depois. Joe vinha acompanhado por Selena, que chorava. Demi, Nick e Zac também estavam presentes. No final do enterro, Vanessa se aproximou de Joe e Selena se afastou de Joe depois de se certificar de que a conversa entre eles era civilizada.
- Você sabe de mais novidades? - perguntou ela ao primo.
- A Camilla melhorou muito, curiosamente, depois de saber a morte do pai.
Vanessa achou estranho.
- Mas não era impossível era ficar boa?
- Sim, tinham dito isso mas parece que afinal o caso da Cam não é perdido.
- Fiquei feliz por isso!
- Em breve ela vai ter alta.
- A sério? Tão cedo?
- Sim, o médico está espantado com as melhoras dela. Em breve vai voltar para casa.
- Para casa?
Joe ficou triste.
- Sim, para casa do Zachary Brown. Afinal, ele continua sendo o seu marido.
- Ela não vai voltar a beber?
- Possivelmente sim mas não posso fazer nada. Já tentei pedir à minha tia que fosse ter com a filha mas ela não quer saber. Até me admiro como é que ela gosta da minha priminha Liliane. A Liliane é filha da própria filha dela, que ela detesta. Curioso que ela coloca as culpas da Camilla estar tão mal à própria. Diz que ela fez um mau casamento. Que ela fez um mau casamento, isso eu concordo.
- Porque é que elas se odeiam tanto? Elas são mãe e filha.
- Acho que a minha tia não gostou que a Camilla se casasse com o Zachary, mesmo que fosse por amor.
- Mas ela quis se casar com ele, a sua tia não podia proibir isso.
- Se pudesse proibir era o que faria. De certa forma ela teve razão. Agora é que se vê o estado em que ficou a Camilla com esse casamento.
- Mas ela se casou por amor! - insistiu Vanessa.
- E desde quando amar alguém é a única razão para casar? Acha que vai dar tudo certo?
Vanessa ficou calada. Joe tinha razão. Ela mudou de assunto.
- Porque trouxe a Selena para cá?
- Ela deveria vir ao enterro. Ela continua sendo sobrinha dele. Vocês foram criadas comigo e com a Camilla, vocês já são da família.
- A Selena está doente, não pode vir a estas coisas.
- Ela pode ser esquizofrénica mas ela tem que saber das coisas, Vanessa. Não esconda a ela!
Vanessa respirou fundo e se afastou de Joe.

No final do dia, Vanessa estava em casa de Miley e recebeu uma noticia de Joe. Sorriu ao lê-la. Miley observava Vanessa.
- O que aconteceu?
- A minha prima Camilla saiu do hospital.
Miley sorriu.
- Finalmente, uma boa notícia.
- Mas ela voltará para casa do Zachary.
- Realmente, aquele homem metia medo. Tive receio até de apertar a mão dele ao sair do enterro do seu tio.
Vanessa sorriu. Miley não conhecia bem Zachary Brown, mas se ela até teve uma má imagem dele, todos deveriam estar certos dele fazer mal a Camilla.

Termina aqui.
E o mistério continua!
Será que o Zac é assim tão má pessoa?!

Beijos.

domingo, 16 de novembro de 2014

Estou Pré-Indicada nas "Melhores de 2014"

Olá a todos!
Vim dizer que estou feliz porque mesmo não tendo muitos leitores fui pré-indicada para a Melhor de 2014.


Esta votação foi feita pelos blogs Críticas de Fanfics e Reviver Stories (se entrarem nos links vão abrir o post das Melhores de 2014).

Estou nomeada em:

Melhor História/Fanfic de 2014:
- A Vingança de Sílvia.
- Almost Loved de Amanda.
- Uma Vida Eterna de Diana.
- Inspiration II de Tatii.
- Cruzada de Ilka.
- Effect Wolf de Maicla Moura.

Melhor Escritora:
- Suzanny do blog Give Me Love.
- Diana do blog Um Segredo Bem Guardado.
- Sílvia do blog A Vingança.
- Maicla Moura do blog Effect Wolf.
- Letícia Alvares do blog The Way I Love You.

Melhor História/Fanfic escrita:
- A Vingança de Sílvia.
- Uma Vida Eterna de Diana.
- The Way I Love You de Letícia Alvares.
- The Big Apple de Nanda Carol.
- Effect Wolf de Maicla Moura.

Melhor Mini-Fic:
- O Amor Acima do Preconceito de Sílvia.
- Angel de Suzanny.
- Erros de Erii.
- Summer Love de Tatii.

A má notícia é que no início de Dezembro posso acabar por não ser nomeada mas pelo menos fui pré-indicada para isto o que me deixa feliz.

Estou rezando para que consiga ser nomeada no final. Mesmo que não ganhe nada pelo menos estou nomeada em algo.

Obrigada aos membros da equipa do Críticas de Fanfics e Reviver Stories.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Capítulo 6 - Parte 7 + Aviso aos Anónimos

Olá a todos!
Bem, tinha dito no dia de Halloween que não tinha comentários. Nessa altura, apareceram alguns anónimos dizendo que gostavam da história. Eu me pergunto, será que são mesmo leitores?
É estranho porque vocês não comentam nenhum capítulo, não escrevem nem um posta logo e quando eu penso que ninguém lê aparecem vocês só para comentar isso e tenho a certeza que desaparecerão depois. E tenho essa certeza porque já fiz isso mais que uma vez e mais ninguém comentou quando recomecei a postar os capítulos.
Então é o seguinte: eu vou continuar a postar os capítulos, se eu não tiver comentários eu vou definitivamente não acreditar em vocês. Ou seja, vou apagar todos os capítulos da história (que aliás, já está terminada) e acabou. Não há final da história para ninguém porque mesmo que alguém goste da história, ninguém tem um tempinho nem para escrever um posta logo em algum capítulo.

Ponderei bem antes de postar o capítulo, mas aqui está.
Sem comentários, sem capítulo, se não gostam comentem. Se gostarem e não comentarem vão ficar sem final da história.
Peço desculpa por essa minha frieza mas já estou cansada de postar para quem pouco se importa se posto ou não.

Anteriormente:
"Ele saiu louco, batendo a porta. Ela continuou imóvel, olhando para a porta fechada, tremendo. Nunca mais esqueceria aquele olhar de Zac. E o brilho dos seus olhos azuis a perseguiria para sempre."


No dia seguinte, Vanessa recebe Joe na pensão. Ele estava com um ar pesado e ela ficou preocupada.
- O meu tio morreu. - ele largou a notícia ao ar.
- O seu tio morreu? O pai da Camilla? - Vanessa raciocinou. Ainda estava em estado de choque.
Joe afirmou.
- O Zac foi contar à Camilla hoje cedo. Permitiram que ele lhe contasse. Acho que isso vai fazer mal a ela.
- Como é que você soube disso?
- O avião caiu e ligaram para as famílias. A mãe da Cam foi a primeira a saber.
Vanessa colocou a mão os lábios.
- Pobre Cam! Ela vai sofrer com essa notícia.
- Curiosamente ela está ficando melhor. Mas tudo pode retardar se ela receber mal a morte do pai. O enterro vai acontecer hoje e não sei se a Camilla vai obrigar os médicos a lhe levarem ao local.
Vanessa abanou a cabeça.
- Obrigada por me vir contar a notícia, Joe. Eu estarei lá no enterro.
Depois de se despedir de Joe, Vanessa foi de carro para Londres, apanhando um avião para a Califórnia, com a intenção de se encontrar com Miley em Los Angeles. Iria lhe contar do enterro e voltaria para Londres.
O dia estava quente quando ela chegou na Califórnia. As ruas estavam cheias de carros. O rádio do táxi que ela apanhou até ao hotel onde Miley estava hospedada tocava uma música alegre e o motorista conversava, animado:
- Está em Los Angeles pela primeira vez? A senhora é inglesa, não é? Sei que é. Sou capaz de reconhecer os ingleses na hora.
- Na verdade, já estive aqui um tempo atrás mas sou inglesa sim.
O hotel onde Miley estava era imenso. Cheio de luxo e limpo. Tapetes macios, ar condicionado. Havia funcionários atenciosos por toda a parte. Vanessa viu gente sorrindo, dando e recebendo gorjetas. Tudo funcionava perfeitamente. Miley esperava por Vanessa na porta da casa.
- Que bom rever você, Nessa! - disse ela abraçando a amiga - Agora podemos explorar a Califórnia juntas. Como vai Jonathan? Como está o tempo na Inglaterra? Muito frio?
Vanessa respondeu às perguntas. De repente, olhou para a mão esquerda da amiga. O dedo anelar trazia uma anel que brilhava com o sol incidindo sobre ele. Vanessa fez cara feia.
- Você se casou e não me disse nada?
Miley colocou a mão nos lábios.
- Desculpa. Era para ser um segredo só meu e do Liam, pelo menos por um tempo.
- Não tem problema. Mas fiquei triste. Casou e nem fez festa.
- Quando regressarmos a Inglaterra pretendemos fazer uma pequena festa. Diga novidades.
- Bem, - o rosto de Vanessa entristeceu - O pai da Camilla faleceu. Acidente de avião. Ele vinha para cá para ver a filha e o avião acabou caindo. Todos morreram.
Miley colocou a mão nos lábios.
- Pobre Camilla! Logo agora que ela necessitava do pai isso acontece. Se você não quiser fazer nada nem visitar a cidade eu entendo perfeitamente, Nessa.
- Não, eu visito a cidade com você. Preciso de levantar a cabeça.
- Você vai ao enterro?
- Sim, eu vinha só te contar a notícia e fazer uma visita a você. - Vanessa sorriu para a amiga - Acho que você já está pegando o sotaque americano - brincou com a prima do (ex) marido - O que vai Jonathan pensar quando a sua prima voltar falando assim?
- Que bobagem, Nessa! - Miley riu um pouco - Mas confesso que acho o inglês que falam aqui muito fácil de imitar. Aprendi até algumas palavras novas.
- Qual será o nosso programa amanhã, Miley?
- Quero fazer compras e almoçar em Los Angeles.
- Mas você não pode voltar para a Inglaterra sem ver Hollywood! - Vanessa disse.
- Reconheço que... - seus olhos brilharam.
- Eu sabia. Admita, Miles. Nós somos turistas mesmo. Por isso, vamos fazer o que os outros turistas fazem.
- Senti tanto a sua falta, Nessa. - Miley sorriu - Eu não sabia como gostava de tê-la por perto. Só entendi isso durante esta viagem. O Liam é meu namorado e marido - riu ao dizer a última palavra - Mas não é bem um parente.
- Claro que não é. Bem, agora cheguei e vamos nos divertir. Daqui a dois dias é que regresso a Inglaterra para ir ao enterro do meu tio, pois de todas as maneiras, cresci em família com ele.

Termina aqui.
O pai da Camilla morreu. Será que vai mudar alguma coisa na vida da Camilla?
Já tinham saudades da Miley, não?
Beijos e até breve (talvez).

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Happy Halloween!

Olá leitores!
Vim desejar um Happy Halloween a todos.
Fantasiem-se de bruxas, esqueletos, enfim...

Haha!

Acho que é isso!

P.S - Ainda não vou postar nenhum capítulo porque não tive nenhum comentário. Após ter um eu volto a postar, ou então comentem que não estão gostando da história. Eu mudo.


Beijos.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Capítulo 6 - Parte 6

Olá a todos!
Obrigada pelo comentário, Amanda. Na verdade, acho que o Zac vai fazer uma visita à Vanessa sim.
Espero que gostem desta parte do capítulo. Fiz especialmente para os fãs de Zanessa.
Quanto ao mistério no casamento de Zac e Camilla...continua, por enquanto.

Anteriormente:
"Enquanto Sam explicava os negócios que o trouxeram até ali, mostrando os papéis e esclarecendo as dúvidas de Vanessa, eles tomaram o chá e comeram biscoitos. Depois, Vanessa assinou os papéis e ele guardou tudo na pasta."


Mais tarde, foram para a vila, deixaram o carro de Sam na porta da hospedaria e deram um passeio. Vanessa ia mostrando tudo para Sam.
- Nunca vi um lugar tão morto como este. Como é que você aguenta?
- Nasci e fui criada aqui, não se esqueça. Gosto deste lugar. Além disso, morando aqui mesmo acompanho melhor as obras em Verona.
- Como está Jonathan? Ele está gostando do internato?
- Parece que sim. Ele me escreve quase toda a semana. São cartas curtas, mas pelo jeito ele está passando bem. Em geral, fala de futebol. Ele gosta muito de jogar futebol. Vou passar alguns dias com ele nas férias deste semestre.
- Eu gostaria de ver o menino de novo. Se você permitir, posso levá-lo para assistir alguns jogos de futebol.
- É muita gentileza sua, Sam. Ele vai adorar.
- O prazer será meu, Vanessa. - Sam já estava mais tranquilo, mas ainda parecia magoado.
- Você tem ideia de como vai a Miley? - quis ele saber.
- Ela me mandou um cartão postal da Jamaica. Ela está gostando muito da viagem e diz que em breve está casando com o Liam.

A comida estava saborosa, mas Sam achou que o serviço deixava a desejar. Mais tarde, Sam levou-a de carro para a pensão, mas não quis ficar para uma última xícara de chá. Ela despediu-se e entrou, aliviada. Tinha vontade de não ver Sam por muito tempo. A noite havia sido tensa e cansativa. Ele era um visitante que chegava de um outro mundo, um mundo que ela tinha esquecido e do qual não desejava se lembrar. Foi até à janela para fechar as cortinas e parou assustada ao ver o rosto de Zac. Bateu na vidraça e fez um sinal, indicando que queria entrar. Ela sacudiu a cabeça.
- Vá embora.
Ele virou-se e desapareceu. Instantes depois, ela ouviu um barulho de vidro quebrado no quarto que estava com a janela estragada. Zac entrou na casa por ali. Vanessa fechou a porta do seu quarto e trancou-a.
- Me deixe entrar. - gritou Zac.
- Vá embora, por favor, Zac.
- Abra esta porta, senão vou arrombá-la.
- Se for estúpido, eu chamo a polícia!
- Não me importo com a polícia. Abra esta porta, Vanessa.
- Não!
Ela o ouviu a colocar a arma que trazia no chão e ficou apavorada. Se ele se tornasse violento, não teria como defender-se.
- Está bem. - gritou - Vou abrir.
Ele entrou furioso e seus olhares se cruzaram, faiscando.
- Pensei que aquele homem bonitinho ia passar a noite aqui. - disse Zac, malicioso.
- Esta noite, não.
- Talvez ele venha outras?
- Talvez.
- Se ele estivesse aqui, eu teria o prazer de arrebentar a cara dele.
- Não seja estúpido, Zac. Não é da sua conta quem dorme comigo.
Dando um passo para a frente, ele segurou-a pelos braços, apertando-a com força.
- Meu Deus, você está me enlouquecendo, Nessa...
- Quantas mulheres você quer, Zac? Já tem uma esposa e uma amante. Quem come demais acaba ficando com dor de barriga.
Ele deu uma gargalhada.
- Você é venenosa como uma cobra, Nessa.
- Como ousa entrar aqui para me ameaçar? Não tenho medo de você. Tome cuidado. Se eu o surpreender perto desta casa de novo, vou dar um tiro!
- Gatinha selvagem. - disse ele, irónico - Diga a verdade sobre aquele jovem executivo de terno e gravata. Você o conhece há tempo?
- Ele quer casar comigo - ela ficou contente por ter dito isso, pois o sorriso sarcástico sumiu do rosto de Zac.
- Com você ou com a fortuna Foster?
- O que você acha? Sem dúvida meu dinheiro aumenta minha atração. Mas tenho outras qualidades.
- Já notei isso. - os seus olhos azuis saboreavam o corpo dela devagarinho, subindo dos pés à cabeça - Você é um prato feito.
Ela não conseguiu deixar de rir e Zac sorriu também. Eles sentiam um estranho prazer nesse desafio de fazer um duelo com as palavras.
- O que você respondeu a seu pretendente ardente, Nessa?
Ela não respondeu. Zac puxou-a para perto, tentando beijá-la. Vanessa desviou a cabeça e ele mordeu a sua orelha.
- Ai! Você é um bruto!
- Não vai me agradecer por ter levado Camilla para o hospital?
- Você devia ter feito isso há meses. Estava deixando Camilla morrer!
- Dizem que ela vai sair do hospital. Mas pelo amor de Deus! Eu tentei, juro. Mas ela sempre se recusou. Por isso, na noite passada, coloquei alguns comprimidos em seu chá. Quando ela dormiu, levei-a para o médico dela. ele não suspeitou de nada...Camilla muitas vezes bebia até ficar quase desmaiada. Eles a internaram no hospital e agora estão cuidando dela, do jeito que você queria. Dizem que ela está melhorando.
Vanessa ouvia, atenta e séria.
- Ela melhorou?
Zac afirmou com a cabeça.
- Você não devia ter casado com ela se pretendia tratá-la com tanta crueldade.
- Eu nunca quis tratá-la com crueldade. Casei com ela sem amá-la. Este foi o meu crime e paguei caro por isso. Camilla sabia que eu não a amava, por isso começou a beber. Mas, Vanessa, ela sabia disso quando casou comigo! Juro por Deus! Ela me pediu para casar, implorou...Disse que não se importava se eu a amava ou não. Disse isso antes de casar, mas depois de casada foi diferente.
- Você precisa ir embora, Zac - Vanessa suspirou - Já é tarde...
- Preciso? Porquê?
- Oh, Zac. - ela se mexeu, inquieta, sentindo o calor já invadir o seu corpo.
Não queria que ele fosse embora. Queria que ficasse ali, que dormisse ali. O seu corpo inteiro dizia isso, o seu coração disparava pedindo isso. Queria jogar-se nos braços de Zac, esquecer tudo, esquecer o mundo, a vida, a morte...mas não. Vanessa pensou em Camilla, depois em Liliane e estremeceu. Não podia ceder. As barreiras entre os dois eram grandes demais.
- Você precisa ir embora. - ela repetiu, rouca e tremendo.
- Quero você - disse ele, de repente - Quero você como nunca desejei outra coisa na vida, nem mesmo Verona...Não me mande embora esta noite. Deixe-me ficar aqui...Estou quase louco de tanto desejo por você. Se voltar para a minha casa, não sei o que vou fazer da vida. Diga sim, senão nunca mais vou pedir isso de novo...
- Zac, não posso...você é casado...
- Esqueça a Camilla. Esqueça tudo. Diga sim.
- Não, Zac.
- Meu Deus, você...você me recusou. - os seus olhos azuis brilharam de raiva e ódio - Perdeu a sua última chance. Não vou perdoar isso. Da próxima vez, vai implorar de joelhos. Nunca mais vou esquecer o meu orgulho por sua causa, Vanessa.
Ele saiu louco, batendo a porta. Ela continuou imóvel, olhando para a porta fechada, tremendo. Nunca mais esqueceria aquele olhar de Zac. E o brilho dos seus olhos azuis a perseguiria para sempre.

Termina aqui.
Pensavam que finalmente iria haver Zanessa? Estão enganados! Têm que esperar mais um pouquinho.

Beijos.

sábado, 18 de outubro de 2014

Capítulo 6 - Parte 5

Olá a todos!
Aqui está o Capítulo 6 - Parte 5. Vou responder aos comentários.

Malu Piazon: Bem vinda! É verdade. As duas se detestam, mas existe uma razão para tudo isso que, por enquanto, é um mistério. Pode chamar Lili sim, eu também gosto muito dela.

Isa: Bem vinda! Obrigada pelo elogio. Espero te ver por aqui mais vezes e qualquer dúvida na história ou algo que queira sugerir, está à vontade :)

Amanda: Obrigada. Não fazia ideia. Eu também não sou fã dele mas respeito ele por tudo o que fez e que conseguiu alcançar.

Eu tive realmente alguns problemas na faculdade, familiares e mesmo da minha bipolaridade. O pior começou quando a minha madrasta teve um aborto. Comecei a ficar depressiva e acabei muitas vezes por esquecer dos meus medicamentos para o meu transtorno bipolar. Já se percebeu bem o que se passou de seguida! Na faculdade pouco ou nada estudava e até a minha relação com os meus familiares piorou.
Mas foi uma má fase e já passou.

Se a minha escrita começar a ficar um pouco dramática, não desesperem. Eu escrevia mesmo estando num mau momento e acho que até foram bons capítulos.

Para quem já não se lembra do que se passou no capítulo anterior, a Vanessa conheceu a Rachel Morris, a mãe da Camilla. Decorem do nome dela porque vai ser uma personagem importante.

Espero que gostem.

Anteriormente:
"- Eu? - Rachel Morris riu - Isso faria o meu pai, Daniel Morris, virar na sepultura. Disse a mim mesma que nunca colocaria os meus pés nessa mansão."


Vanessa ficou um pouco chocada com a franqueza rude de Rachel.
- Porquê?
- Eu discuti com ele. Disse que nunca colocaria os meus pés em Verona. Nunca mais. Se a minha filha não fosse a dona de Verona, eu não entraria na casa.
- Bem, o convite continua de pé. Venha me visitar quando quiser.
Quando Vanessa chegou em Verona, encontrou Sam à sua espera. Ele viera visitá-la sem avisar. Sam cumprimentou Vanessa com um sorriso, erguendo a sobrancelha ao reparar em suas roupas.
- Você está tão diferente.
- O que veio fazer aqui, Sam?
- Uma pequena visita de cortesia.
- Ótimo. Venha até à pensão para tomar um chá. Lá a gente conversa à vontade.
- Nessa, porque você não volta para Londres? Não está se aborrecendo por aqui? nunca vi um lugar tão parado com essa vila. Não consigo imaginar você vivendo como uma camponesa.
- Não fale tanta bobagem, Sam. - respondeu ela, tranquila - O que achou das obras? Os homens estão trabalhando bem, não?
- É, mas são muito lentos. Vai demorar meses até tudo terminar. Você agora faz obras de caridade, Nessa?
- Porque está tão sarcástico, Sam?
Ele pegou a pasta que havia trazido, abriu e explicou:
- Eu trouxe estes papéis para serem assinados por você. Se tivesse voltado para Londres poderia fazer isso lá mesmo.
- Tenho certeza de que as Empresas Foster vão continuar, esteja eu onde estiver.
- Claro que vão. Mas seria muito mais fácil para mim se você morasse mais perto.
Ela começou a preparar o chá, sentindo-se à vontade na cozinha. Ao se virar, Vanessa o viu sorrindo e perguntou o que achava de tão engraçado.
- Nunca imaginei você como uma dona de casa. - disse ele - Pensei que não soubesse cozinhar.
- Não acha que posso ser uma boa dona de casa?
- Pode sim, mas não a Vanessa que eu conheço.
- Todos nós mudamos, Sam.
Sam ficou sério por breves instantes.
- Mas não quero ver você mudar assim, Nessa.
- Lamento Sam, a gente não pode impedir as mudanças. Já se passou algum tempo da morte de Terrence. Tive tempo para me adaptar, para entender o que quero fazer na vida.
Quando Vanessa passou pela cadeira de Sam, ele a segurou pelo pulso. Puxou-a, e a fez sentar-se no seu colo.
- Nessa, amo você...esperei todo este tempo para dizer isso.
- Sam, por favor...
Ele tentou beijá-la na boca, mas ela virou a cabeça.
- Sam, não faça isso.
- Porque não? - ele estava com o orgulho ferido - Você não gosta de mim? Sempre foi tão gentil e atenciosa comigo. Eu só estava esperando até você esquecer Terrence. Esperando que me desse um sinal...
- Gosto muito de você, mas não posso amá-lo. Lamento se você espera mais do que isso. Eu nunca poderia lhe dar o que você quer.
- Você sabia dos meus sentimentos, Nessa.
- Eu suspeitava, mas não tinha certeza. Você nunca falou nada, por isso não pensei nisso.
- Existe outro homem na sua vida, é isso? - ele a segurou pelos ombros - Alguém que mora por aqui? Isso explicaria sua vontade estranha de morar no meio do mato. Quem você encontrou, Nessa? Algum homem forte e violento? Um homem completamente diferente de Terrence?
- Me largue, Sam!
De repente, Vanessa ficou com raiva, por causa das perguntas e da descrição sarcástica do homem que lembrava Zac.
- Não vou desistir. - reagiu ele, transtornado pelo ciúme.
Ela tentou se libertar, mas ele era forte demais. Abraçou-a brutalmente, imobilizou os seus braços e a beijou no pescoço. Depois subiu os lábios até beijá-la na boca, com uma violência espantosa. Vanessa nunca tinha imaginado que ele era capaz de querê-la tanto.
Quando Sam por fim a largou, Vanessa levantou-se de seu colo, indignada, afastando os cabelos do rosto com as mãos tremendo.
De repente, ela parou. Através da janela, Zac estava observando a cena. Ele trazia uma arma consigo e o rosto refletia toda a sua raiva.
Sem saber que estava sendo observado, Sam também se levantou, segurou a mão de Vanessa e começou a beijá-la.
- Desculpe, querida...Perdi a cabeça. Mas pelo menos agora você sabe como me sinto e...O que você está vendo? - ele se virou quando notou que ela olhava fixamente para a janela. Mas Zac já tinha se afastado - O que foi? - insistiu ele com Vanessa.
Ela recuou, olhando para o chão.
- Não foi nada, Sam. Desculpe. Não quero que você tenha esperanças, por isso vou ser cruelmente honesta: não o amo e não posso amar você. De certa maneira, eu gostaria de amá-lo. Mas sei que é impossível.
Ele ficou muito tempo em silêncio, abatido.
- Bem, agradeço pela honestidade. Mas não vou desistir. Um dia desses você pode mudar de ideia. Eu espero.
- Não espere, Sam. Por favor, não desperdice a sua vida assim.
- A vida é minha e farei dela o que quiser. - respondeu ele, chateado com ela.
- Vamos tomar o chá? - sugeriu ela, cabisbaixa - Depois você pode me explicar o que são esses documentos que trouxe, está bem?
- Está bem, Nessa.
- Eu vou ter que ir ao hospital logo à tarde.
- Porquê? Algum problema?
- A minha prima Camilla está no hospital. Ela tem piorado a cada dia que passa.
Sam ficou olhando para Vanessa, sério.
- Não vai dizer nada?
- Não sei o que diga, Nessa. As melhoras para ela.
Vanessa abanou a cabeça.
- O casamento dela com o Zac está a destruindo.
Sam continuou calado. Vanessa mudou de assunto.
- Onde vai dormir esta noite?
- Naquela hospedaria da vila.
- Vai jantar lá?
- Pedi um jantar para duas pessoas. Pensei que você gostaria de jantar fora, só para variar.
- Foi uma ideia ótima, Sam. Obrigada.
- Espere até provar a comida. Acho que se for carne, estará dura como uma sola de sapato.
Enquanto Sam explicava os negócios que o trouxeram até ali, mostrando os papéis e esclarecendo as dúvidas de Vanessa, eles tomaram o chá e comeram biscoitos. Depois, Vanessa assinou os papéis e ele guardou tudo na pasta.

Termina aqui essa parte do capítulo.
Haverá alguma coisa por contar sobre o passado da mãe da Camilla com Daniel Morris, o pai?!
Vocês esperavam por essa atitude do Sam? Achavam que ele gostava da Vanessa?

Não sei quando posto o próximo. Depende dos comentários.

Beijos.

Happy Birthday Zac Efron

Hoje, dia 18 de Outubro, Zac Efron faz 27 anos.


Esse ator perfeito faz hoje 27 anos. Como fã de Zanessa (pode-se ler iludida) e por ele ser o meu personagem principal dessa história A Vingança, não podia deixar esse dia passar em branco.

Happy Birthday Zac Efron!

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Happy Birthday Eminem

Não me considero fã dele, mas ele é um exemplo a seguir.
Tenho muito respeito por ele.
Hoje, dia 17 de Outubro, completa 42 anos.



Ele já é considerado o Rei do Rap em todo o mundo.
Um homem que ninguém dava nada por ele, um rapper branco que modificou tudo.
Era agredido na escola, praticavam bullying com ele mas ele conseguiu se vingar de todos fazendo aquilo que gosta, sendo o melhor naquilo que sabia. Aos 9 anos saiu da escola e levou o seu rumo para as letras, para o rap.
É um grande artista que deu e dá grandes lições de vida!

Parabéns Eminem!



O próximo capítulo será postado amanhã, e vou responder aos comentários amanhã.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Alguns avisos

Olá a todos!
Faz tempo que eu não venho aqui dar algumas explicações. Neste último tempo eu tenho entrado muito pouco. Primeiro foi por causa da escola e depois por causa de alguns problemas que eu estava a viver, problemas familiares e até da minha doença. Não sei se agora não estou postando por falta de coragem ou por falta de comentários.
O blog está tendo poucas visualizações e por pouco que o número de comentários é 0. 
Confesso que isso é culpa minha, por falta de divulgação e de cuidado, só que quando a pessoa faz algo e vê que ninguém liga, a pessoa acaba por desanimar. E foi o que aconteceu comigo, quando percebi que ninguém mais queria saber da história eu acabei por desanimar.
Não sei se ainda querem a continuação da história ou não. Só vou poder postar no dia 18 de Outubro, Sábado, o próximo capítulo.
Agradeço pelo comentário da Malu, a nova leitora.
Não tenho problemas em postar para uma ou duas pessoas, desde que comentam e que eu veja que estou postando para alguém que se importa.
Consoante os comentários que tiver, eu recomeço (ou não) a postar.

Beijos,
Sílvia.

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Happy Birthday Camilla Belle

Olá a todos!

No dia 2 de Outubro de 1986, nascia uma menina talentosa filha de mãe brasileira e pai norte americano de seu nome Camilla Belle Routh.

Hoje faz 28 anos!

Não deixa de ser perfeita Cam?!
Eu conheci esta atriz depois de ter saber que o Joe Jonas namorava com ela. Eu já era fã do Joe e conheci-a. A partir desse dia eu passei a adorá-la. E agora eu sigo todos os filmes em que ela participa.
Não sei se existem haters da Camilla ainda hoje desde 2008 mas se não fosse o Joe eu não a conhecia.

Que ela tenha muitos mais anos de vida e que interprete muitas mais personagens.

Happy Birthday Camilla Belle!


Feito por Estela Soares do Camilla Belle Fãs
O Capítulo anterior está abaixo, para quem ainda não leu.

Beijos.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Capítulo 6 - Parte 4

Olá a todos!
Obrigada pelo comentário, Amanda. É normal que a ideia sobre o Joe mude. Não tem problema.

Para quem não sabe, no post anterior disse que iria aparecer uma nova personagem, a mãe da Camilla e tia do Joe - Rachel Morris.
Esta vai ser uma personagem importante, não se esqueçam dela!

Anteriormente:
"- Escute, Joe, diga a verdade: você conhece bem o Zac Brown? Ou você o conhece bem e quer denegrir a imagem dele por o odiar?"


Joe ficou sério.
- Olha, o conheço o suficiente para saber que ele não é um bom homem. Apenas estou sendo sincero e mostrando os factos. Já fui um grande amigo do Zac e me arrependi por tê-lo colocado em Verona após a morte dos pais dele. Conheço ele à muito tempo e sei do que falo.
- Joe, quem é que está tomando conta da filha deles? - Vanessa perguntou algo que a massacrava desde sempre. Zac não tinha família. Pelo menos que conhecesse. A tia de Zac estava desaparecida à muito tempo. Até podia já ter morrido. E o pai de Camilla está viajando em negócios.
- A minha priminha Liliane? É a avó.
- A avó? - perguntou Vanessa, surpresa.
- Sim, a minha tia, a mãe da Camilla.
- Ela não tinha morrido? Quando fui para os Estados Unidos me disseram que ela tinha morrido.
- Não, ela não morreu. - disse Joe - Ela ficou um tempo com depressão. A Camilla nunca gostou muito da mãe. A mãe a obrigou a casar com um executivo rico e desde aí, elas não se falam.
- E o pai da Camilla? Já foi ver a neta?
- Já. Mas é raro ele parar por aqui. Está viajando sempre em negócios. Finalmente, vai voltar cá para ficar uns dias com a Camilla. Ele soube que a filha foi para o hospital. Eu próprio liguei para ele a lhe dar a notícia.
- A filha da Cam frequenta a escola da vila?
- Ela ainda não começou a estudar. Só tem cinco anos e não havia vagas neste semestre. Acho que ela só começa depois do natal.
- Eu gostaria de vê-la.
- Porque não vai até lá e faz uma visita? Você é tão prima da Camilla quanto eu. Afinal, fomos criados juntos. Acha que não vão deixá-la ver a Liliane?
- Não sei o que Zac vai fazer. Ele é muito imprevisível.
- Você acha que ele está louco? - Joe riu - Pode ter a certeza que sim. - ele mudou de assunto - Agora vou ter com a Selena. Nos vemos em breve, Vanessa.
Vanessa olhou para Joe, séria.
- Eu ainda vou descobrir o que você anda fazendo com essa enfermeira da Cam. Está muito amiguinho dela, Joe.
- Você que não suspeitasse de nada. Já lhe disse que não tem nada para falar mal de mim. Eu amo a sua prima, Vanessa.
Joe se aproximou do seu carro.
- Até breve, Vanessa. - disse ele entrando no seu carro.

Logo que acabou as compras, ela voltou para a pensão e conversou com David Mason, o dono da pensão. Poucas vezes ele estava lá. Tinha uma casa própria e só ia para a pensão quando alguma coisa estava mal. Trocou de roupa após chegar ao seu quarto. Vestiu uma calça de ganga e pouco depois saiu para fazer um longo passeio.
Ao chegar perto da casa da mãe de Camilla, Vanessa, ouve risadas. Alguém apareceu entre os arbustos, correndo.
Era uma menina de cabelos castanhos claros, bonita, vermelha nas bochechas devido a ter corrido. Ela se assustou quando viu Vanessa. As duas ficaram paradas, olhando uma para a outra. A menina tinha olhos azuis, parecidos com os de Zac. Só podia ser Liliane.
Uma outra pessoa apareceu entre os arbustos, carregando uma bola vermelha de plástico.
- Olá Vanessa.
Ela sorriu, hesitante. A mãe de Camilla nunca tinha ido com a sua cara. Agora, depois de tanto tempo, Vanessa não sabia o que podia esperar dela.
Rachel Morris era uma mulher magra, alta e morena. Tinha sotaque londrino.
Sem perda de tempo, disse para a menina:
- Liliane, querida, volte para casa agora. Eu já vou, daqui a pouco.
Liliane encarou Vanessa com curiosidade, enquanto respondia:
- Está bem, vovó.
- O que você quer, Vanessa? - Rachel Morris, perguntou, quando a menina entrou na casa.
- Vim ver Liliane. - respondeu, sem rodeios.
- Entendo que você esteja interessada em ver se a menina é bem tratada. Bem, já viu. Ela é forte, tem muita saúde e vive bem. Só acho que é mimada demais pelo pai. Mas não vejo motivos para você se preocupar.
- Ela não sofreu com a doença da mãe? Isto tudo não deve ter feito muito bem a Liliane.
- Zachary manteve a menina afastada, na medida do possível. Ele não quer magoar Liliane. Já disse que a mima demais. - Rachel encarou Vanessa com franqueza - A filha é muito diferente da mãe. A minha filha não é nenhum anjo, e sei que o Zachary também não é, mas ele tem mais energia no dedinho da mão do que ela tem no corpo inteiro.
Rachel detestava a filha e isso toda a gente sabia. As duas não se davam bem. Rachel acabava sempre por falar melhor de Zac do que dela.
- Acho que Camilla não foi feliz casando.
- Isso é fácil de entender. Camilla nunca foi uma boa dona de casa. Ela queria ser servida. Era uma pessoa egoísta, preguiçosa e não sabia fazer nada. Não finjo que gosto dela. Sempre foi uma garota que queria tudo. Ela sempre falava mal de mim e me tratava como se eu fosse lixo. Muitas vezes me amaldiçoou por ter feito escolhas cruéis por ela. É o meu papel de mãe, afinal! Vou ser franca, Vanessa. Ela não prestava.
- Você fala como se ela já estivesse morta.
- Bem que gostaria que ela estivesse. Digo isso para quem quiser ouvir. Camilla é um veneno para si mesma, para o Zachary e para a própria filha. Seria muito melhor se Zachary tivesse casado com você, Vanessa. Você sabe disso.
- Eu não teria lhe dado Verona - rebateu Vanessa, friamente - Acho que ele casou com Camilla pensando em Verona.
Rachel encarou Vanessa em silêncio, depois encolheu os ombros.
- A minha filha nunca teve nada. Era o primo dela que tinha Verona. Toda a gente sabia que o meu pai iria querer que fosse um homem a administrar Verona. Como o seu próprio filho não quis, ficou Joseph com a casa. Mas ele foi um completo idiota em a vender. Essa casa valia milhões se fosse vendida na altura. Agora só conseguiu poucos dólares.
- Você queria que a casa fosse vendida?
- Claro que sim, mas na altura, não agora. Quem iria querer uma casa velha? Você saiu daqui para viver para os Estados Unidos, eu estava numa depressão, a minha filha não tinha direitos na mansão, pensava que Zachary tivesse poder e riqueza mesmo com a morte dos seus pais mas vi que ele era pobre. Agora é que ele conseguiu ser o dono destas terras, mas não tinha Verona. Verona é a única casa que ele não tem em seu poder. O Zachary é uma pessoa muito fechada. Ele não conta nada da sua vida. - ela olhou para a casa - Preciso entrar agora. É melhor ir embora. Zachary não vai gostar de encontrá-la aqui.
- Fale com ele, por favor. Diga que quero visitar Liliane. Quero conhecê-la melhor.
- Vou falar, mas não alimente muitas esperanças. Zachary é teimoso e não gosta de visitas. - o seu rosto se contraiu - Vanessa, temos uma enfermeira aqui. Pensei que ia embora, agora que Camilla está no hospital, mas Zachary acha que ela deve ficar para me ajudar a cuidar de Liliane. Diz que já tenho muito serviço em casa. ele tem um pouco de razão, embora eu não goste dessa mulherzinha.
Vanessa não respondeu, apenas sorriu e começou a se virar para ir embora. Mas Rachel ainda a deteve um pouco.
- Como está a sua prima Selena? Está indo bem?
- Sim. Está indo bem. A Demi tem a ajudando muito.
- Quando Verona fica pronta? Dizem que você está gastando uma fortuna nas obras.
- Venha me visitar quando tudo estiver no lugar.
- Eu? - Rachel Morris riu - Isso faria o meu pai, Daniel Morris, virar na sepultura. Disse a mim mesma que nunca colocaria os meus pés nessa mansão.

Termina aqui essa parte do capítulo.
Conseguem entender um mistério na vida da mãe da Camilla?!
O que acham que se passa? Qual foi a razão para mãe e filha se detestarem?
Beijos.

Nova Personagem

Olá a todos!

Mostro mais uma personagem que vai ser muito importante daqui para a frente.


Rachel Morris - Mãe de Camilla e tia de Joe. Cuida de Liliane Brown, a filha de Camilla e de Zac.

A personagem vai ser retratada pela atriz Rachel Weisz, tal como vêem na imagem (para quem não sabe).

Beijos.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Capítulo 6 - Parte 3

Olá a todos!
Obrigada pelos comentários, Amanda e Erii. Sei que vocês as duas não gostam da Vanessa mas ela tem o seu lado. Ela é muito maternal. Quer ajudar a prima que é esquizofrénica e ela sabe que a fama do Joe não é das melhores, diferente do Nick, que tem fama de ser um bom homem.

Essa parte do capítulo é enorme porque decidi colocar o mistério todo numa mesma parte.
Espero que gostem.

Anteriormente:
"- Com certeza, Nessa. É o que tenho feito todos os dias da minha vida profissional. E tenho gosto de ajudar a sua prima.
- Eu sei que sim. Vou ter que ir agora, Demi. Quero ver como anda Verona. Até breve.
Vanessa se despediu de Demi e entrou de novo para o carro, conduzindo até Verona."


No final da manhã, Joe Morris visitou Vanessa na pensão. Sentados em duas cadeiras velhas e desconfortáveis, eles tomaram um café na sala.
- Nunca imaginei que você se sentasse aí, Joe.
- Fui criado em Verona, Vanessa. Até parece que não sou um homem humilde.
Vanessa corou de vergonha.
- Desculpa. Desculpe a desarrumação. Estou aqui até Verona estar pronta.
- Eu entendi isso. - disse Joe, sorrindo - Quando acaba a reforma?
- Daqui a cinco meses, se a obra continuar no mesmo passo.
- Estão trabalhando bem?
- Muito.
Joe tomou mais um gole do seu café.
- O médico da Cam esteve em casa do Zac hoje de manhã.
- Sim? - Vanessa perguntou, tensa.
- A nossa prima está pior. Teve uma forte crise na noite passada. O médico quis levá-la para o hospital, mas ela não quis ir. E o Zac também não quis levá-la.
- Não entendo porque ele é tão cruel. Coitada da Cam!
- O médico diz que ela está amarela. O fígado vai mal. Ela não pode continuar vivendo desse jeito. Não me conformo com isso!
- Uma operação poderia salvá-la?
Joe suspirou e sacudiu a cabeça.
- Não adianta mais. Mas a doença pode ser menos dolorosa num hospital especializado. Ela precisa sair daquela casa. Ali ela vai beber até morrer.

Depois de Joe sair, Vanessa continuou sentada perto da janela, olhando para as folhas secas que o vento varria lá fora. Lembrou-se da época em que Camilla era criança. Nunca tinham sido muito amigas. A prima sempre foi uma menina fechada. Como a vida de Camilla tinha sido trágica. Que diferença enorme da de Vanessa. O destino, ás vezes, é tão cruel com algumas pessoas!
Alguém precisava forçar Zac a mandá-la para o hospital. Era o dever dele como ser humano e como marido. Joe tinha chegado a insinuar que Zac desejava a morte de Camilla. Insinuou também que ele dava bebida para a esposa. Será que era verdade? Zac era um homem violento e selvagem mas nunca tão perverso assim. Joe devia estar enganado.
Ao entardecer, Vanessa saiu para dar um passeio no parque. O sol já se aproximava do horizonte e começava a ficar frio. Ouviu o som de passos. Viu que Zac vinha chegando, vestindo calça de ganga e camisa preta. Ela parou e esperou ele chegar perto. Os dois ficaram olhando um para o outro, serenos.
- Zac, Cam precisa ir para o hospital. - começou ela, séria.
- Ela não quer.
- Você pode convencê-la.
- Eu?
- Ela fará qualquer coisa por você.
- Qualquer coisa menos me largar. - respondeu ele, frio.
- Acho que ela fará até isso se você prometer visitá-la sempre.
- Você acha que já não tentei?
- Tente de novo, Zac.
- Entendo. Você está pensando que quero vê-la morta. O Joe te falou isso, não foi? Ele me odeia. Talvez seja verdade, mas eu nunca a mataria.
- Nem deixaria que ela morresse por descuido?
- Quanta ironia!
- O quê?
- Ver você me criticando por odiar Camilla! Meu Deus, às vezes a vida é muito irónica connosco.
- Você vai falar com Cam? Vai convencê-la?
- Acho que sim. - ele olhou em direção da pensão onde Vanessa estava hospedada. - Você não me convida para uma xícara de café?
Ela sacudiu a cabeça, negando, e olhou para ele em silêncio.
- Está com medo de ser violentada, querida? - ele reagiu com ironia.
- Boa noite, Zac. - Vanessa se virou para entrar - Volte para perto da sua esposa.
Ele estendeu a mão e tocou nos cabelos pretos dela. Vanessa abriu a porta. Nesse instante, ele a agarrou e beijou.
- Boa noite, Nessa.
Rapidamente, ela entrou na pensão e bateu a porta. Pouco depois, ouviu Zac se afastando. Fechou os olhos, desanimada. Era difícil tentar dormir sabendo que Zac continuava lá, andando pelo parque como uma fera. Se despiu e deitou na cama. Mas não conseguia adormecer. Estava nervosa, com os sentidos atentos, ligados nos ruídos de fora! Imaginou ouvir barulho de passos e de alguém batendo de leve na vidraça.
O que ele queria? O quê? Porque vivia rodeando a casa? Porque continuava lá fora, com os olhos fitando a luz da janela do seu quarto?
Vanessa nem se atreveu a apagar a luz. Por fim, adormeceu com a luz acesa e acordou ouvindo os passarinhos cantando nas árvores do parque. A sua cabeça doía. Levantou-se trémula e desanimada, depois da noite mal dormida.
De repente, achou graça tentando imaginar a expressão de Sam ao vê-la morando naquela casa rústica. ele ia achar que ela estava louca. Se tinha dinheiro para morar onde quisesse, fazer o que quisesse, porque ficava ali, naquelas condições? Seria quase impossível explicar a Sam que era isso mesmo que ela desejava, que só queria ficar em Verona, pertinho da casa antiga e adorada, esperando o fim das obras.
Depois do café, Vanessa foi até à vila fazer compras. Enquanto conduzia, passou por casa de Joe. Joe estava também saindo de casa e pediu para que Vanessa estacionasse o carro. Vanessa saiu do carro, preocupada com a possível notícia de Joe a ela.
- Vanessa, sabe o que aconteceu? - o seu sorriso indicava que a notícia era boa. Vanessa respirou de alívio.
- O que foi?
- O Zac Brown trouxe a Cam para a vila ontem à noite e o médico já a encaminhou para o hospital! O que é que você acha? Parece que me enganei a respeito dele. O Zac pode ter muitos defeitos mas até foi bom para a Cam.
- Estou contente por isso. - Vanessa se sentia orgulhosa. Zac tinha atendido o seu pedido - Como você soube disso?
- A enfermeira da Cam me contou.
- Ah, a Taylor? - perguntou a Vanessa, séria. Será que o primo estava dando em cima da enfermeira da prima? Joe não mudava nunca!
- Você vai visitá-la? - Joe perguntou, vendo o ar sério de Vanessa ao ter dito que sabia tudo pela enfermeira de Camilla - Ele não pode impedir visitas enquanto ela estiver no hospital.
- Vou tentar.
- Leve alguns livros para ela. Parece que ficará internada por muito tempo.
- Acha que vai sarar?
- A doença não tem cura, pelo que sei, mas pelo menos ela não vai mais sentir tanta dor.
- Porque será que as pessoas bebem tanto? É uma loucura se matar bebendo álcool.
- Qualquer mulher casada com um homem daqueles beberia.
- Escute, Joe, diga a verdade: você conhece bem o Zac Brown? Ou você o conhece bem e quer denegrir a imagem dele por o odiar?

Pronto. Capítulo acabado.
A Camilla não tem volta. Parece que vai mesmo morrer. Sendo assim, acham que ela é uma vilã?
A verdade é que a Vanessa continua achando que a versão contada pelo Zac foi mentira. Afinal, é próprio da Vanessa acreditar na sua própria prima.
Joe também não acredita na versão de Zac e diz que a prima é a maior vitima desse casamento dos dois.
Vocês vão acreditar em quem?! Na Vanessa e no Joe ou no Zac? Acham que o Joe está dizendo isso tudo porque detesta o Zac, o seu antigo amigo?

Beijos.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Selos e Tag (atualizado)

Olá a todos!
Recebi mais dois selos e uma tag. Obrigada Amanda, Erii e Diana.



Regras:
1- Escrever 11 coisas sobre seu blog;
2- Responder as 11 perguntas feitas pelo blog que te indicou;
3- Indicar 11 blogs com menos de 200 seguidores;
4- Fazer 11 perguntas para quem indicarei.

11 coisas sobre o blog:
1- Tenho o blog desde o dia 6 de Julho de 2012.
2- As minhas duas histórias Vidas Trocadas e A Vingança têm uma ajuda da Diana.
3- Eu não gosto de escrever com o nome inteiro dos famosos e por isso é que os seus sobrenomes são diferentes.
4- Sou horrível a criar cabeçalhos.
5- É coincidência mas nas minhas duas histórias já postadas, Vidas Trocadas e A Vingança, uma das minhas personagens favoritas é a Camilla.
6- Demoro cerca de uma a duas horas a escrever apenas um capítulo.
7- Não sei descrever morte de personagem (uma coisa que me diferencia da minha meia irmã).
8- Postar uma história de Joemilla sem Demi é algo que ainda estou a pensar em fazer para o blog.
9- Já quis excluir o blog mas o comentário da Amanda é a única coisa que ainda me mantém por aqui.
10- Já tive um blog criado mas exclui por falta de comentários.
11- O meu anterior blog não tinha histórias.

As perguntas da Amanda:

1. Quando teve a ideia de criar o blog?
R: Não tive nenhuma ideia. A culpada foi a minha meia irmã, que soube que eu escrevia.

2. Como pensou no nome do seu blog?
R:  Histórias da Sílvia. Como ia postar histórias e eram minhas ficou assim.

3. Preferia ler um único blog e gostar muito, ou ler vários blogs e não gostar de nenhum?
R: Ler um único blog e gostar muito.

4. Como conheceu o meu blog?
R: Já nem sei como. Acho que pesquisei no Google. A história me chamou à atenção porque era diferente das que lia.

5. Um livro/filme que marcou sua vida?
R: Até hoje, nenhum.

6. Qual seu cantor(a) favorito(a)?
R: Não tenho favorito.

7. Qual seu escritor favorito na blogsfera?
R: Seria ridículo se dissesse que era a minha meia irmã, mas a verdade é que é ela. Li todas as suas histórias. Desde a primeira. Eu a admiro por conseguir escrever um género que, para mim, é complicado.

8. O que está fazendo agora, além de responder o selo?
R: Ouvindo música.

9. Gosta das suas histórias ou fica colocando defeito?
R: Existem capítulos que eu odeio, mas a história no geral não.

10. Se pudesse escolher um outro país para viver, qual seria e por quê?
R: Não sei. Não há um país que eu goste muito.

11. Que horas são?
R: 16:19.

Perguntas da Erii:

1. Oi, tudo bem?
R: Sim :)

2. Qual foi a primeira história virtual que leu?
R: A da Diana.

3. Qual é o seu livro favorito no momento?
R: Ando a ler Eça de Queiroz neste momento.

4. Como conheceu meu Blog?
R: Acho que foi a Diana que me passou o link.

5. O que a deixa embaraçada?
R: Nem sei bem. Quase tudo me deixa embaraçada.

6. Qual é a musica que lhe deixa arrepiada?
R: Cut - Plumb.

7. Zac Efron ou Brad Pitt?
R: Zac Efron, óbvio! Até na minha história ele é perfeito!

8. Se pudesse reescrever um livro qual seria?
R: O final da saga Twillight. Detestei o final do livro.

9. Tv ou Pc?
R: Não vejo muita televisão por isso, PC.

10. Seu lugar favorito?
R: O meu quarto.

11. O que mudaria em si, emocionalmente?
R: Deixaria de ser bipolar.

Blogs:

Quem quiser, comente abaixo.

As minhas perguntas:
1- Qual escritor(a) mais admira? Pode ser de histórias/fanfics ou de livros.
2- Com qual dos seus personagens se identifica mais?
3- Se fosse para escolher uma música para a sua história, qual seria?
4- O que estraga uma história, na sua opinião?
5- Qual género de história curte?
6- O que não pode morrer sem fazer?
7- Com quantos anos começou a escrever?
8- Quais são as suas inspirações?
9- Casal favorito?
10- Se considera uma boa escritora?
11- Qual é o seu signo?


Regras:
1-Não poderá dar o selinho quem lhe deu.
2- Não mude as perguntas.
3- Não tente tirar os créditos.

1. Já pensou em desistir do blog e abandonar tudo?
R: Sim, muitas vezes.

2. O que pensa que é indispensável numa Fanfic?
R: Romance, se é fanfic tem que ter romance de duas personagens famosas, seja Jemi, Zanessa ou qualquer outro casal.

3. O que prefere escrever, Sinopse ou a Lista de Personagens?
R: A sinopse. Não sei se é por ser bipolar mas descrever personagens é sempre muito difícil para mim.

Os indicados são os mesmos do selo anterior mais o blog da Diana: Um Segredo Bem Guardado

Tag: Qual é o Livro

Regras:
- Precisa ir até a sua estante, fechar os olhos e pegar um livro qualquer.
- Deve responder 9 perguntas relativas ao livro que apanhou para que os teus leitores descubram de qual livro se trata.
- Indicar 10 blogs para participar também.

1 - Quantas Páginas tem o livro? 167.
2 - Qual a cor predominante na capa? Branco.
3 - Qual a editora? Editorial Presença.
4 - Qual o género? Romance.
5 - Faz parte de uma trilogia/saga? Não.
6 - É autor ou autora? Autora.
7 - É de autor(a) brasileiro? Não, é espanhola.
8 - É um livro muito conhecido? O livro não mas a história é.
9 - É um best-seller? Deveria ser.

Indicados:
Almost Loved

(não sei mais a quem passar. Todos os blogs que eu comento já têm a tag).

Beijos.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Capítulo 6 - Parte 2

Olá a todos!
Obrigada pelo comentário, Amanda. Vou voltar a falar em breve do triângulo amoroso.

Anteriormente:
"- Ah, e quanto ao sexo. Não aconteceu nada. Afinal, para mim não significou nada. Mas você tem que esquecer isso. Até breve Demi. Eu logo volto a falar com você. - e dizendo isso, Nick saiu de casa de Selena."


Vanessa foi a casa da prima Selena antes de ir ver como estavam as obras em Verona. Demi recebeu-a com um sorriso forçado. Parecer estar feliz não era muito bom para Demi.
- Oi Demi, tudo bem?
- Sim e com você, Nessa?
- Também. Já consegui falar com a Camilla. Ela está piorando a cada dia que passa.
- Eu sei disso, Nessa. Sinto muito. Quem te levou até ela?
- Foi o Joe. Você me pediu para ir ter com ele e foi o que eu fiz. O meu orgulho me deixou fazer isso. Eu o detesto, mas ele me ajudou muito.
Demi sorriu, forçosamente.
- Vim falar com a minha prima, Demi. Ela está no quarto?
- Sim, já sabe o caminho. Te deixo à vontade.
Vanessa atravessou a sala e foi até ao quarto da prima. Selena correu até Vanessa, ao vê-la.
- Oi prima! Como você está?
- Estou bem e você, Sel?
- Estou bem. Tem novidades?
- Sim. Eu fui ver a Camilla.
- E então? Ela está melhor?
- Não propriamente. Ela está ainda um pouco doente, depressiva.
Selena olhou séria para a prima.
- Me conte a verdade, prima. A nossa prima piorou, não foi?
Vanessa afirmou, com receio.
- Eu sei que algo se está abatendo na nossa família. Minha mãe tem me dito isso.
Vanessa se assustou um pouco mas depressa tentou não demonstrar isso à prima.
- A sua mãe?
A mãe de Selena tinha morrido à muito tempo. Após a morte da avó delas, a mãe de Selena tinha morrido de desgosto. A mãe de Selena gostava muito da sogra.
- Sim ela tem me dito isso muitas vezes.
Vanessa percebeu que era a doença da prima que estava falando. A esquizofrenia também faz isso aos seus doentes: aparição de pessoas mortas. Vanessa mudou de assunto.
- Soube que o Nick apareceu por cá? Recebeu-o bem?
- Não. - respondeu Selena sem preocupação.
- Como? Você não o tratou bem?
- Tenho que tratar bem o meu ex namorado? Claro que não.
- Você sabe que ele é o melhor para você.
- Ele é o melhor para mim? - disse Selena, irónica - Claro, é tão certo para mim que fez sexo com a Demi na cozinha.
Vanessa olhou séria para Selena. A prima endoideceu, pensou ela.
- Tem a certeza disso?
- Claro que tenho. Eu vi e ouvi. A Demi gemia. Foi uma visão do inferno! - respondeu ela.
Sons estranhos, aparição de pessoas mortas...a prima estava demonstrando sinais da doença. Será que Selena não estava tomando os antipsicóticos?
- Vou perguntar para a Demi essa pouca vergonha que aconteceu aqui. - falou Vanessa.
- Ela me odeia, claro que ela vai negar tudo. Eu é que sou a louca!
- Você não é louca!
- Pois não. Isso lhe garanto, prima! Eu sei o que vi e ouvi. A Demi não gosta de mim, se quisesse até me mataria para ficar livre de trabalho.
Vanessa tentou não se mostrar assustada. Selena pensa que a Demi fala mal dela e a tenta matar. Mais outro sinal da doença. A prima ficou preocupada com Selena.
Se despediu da prima e foi acompanhada por Demi até ao portão da casa.
- Demi, - começou por dizer, Vanessa - A minha prima tem tomado os antipsicóticos?
- Sim. Porquê? Ela piorou?
- Ela tem demonstrado alguns sinais. Tem falado com a mãe, tem ouvido sons estranhos, acha que você a quer matar...ela está piorando.
- Como assim? Eu querendo matar a Selena? Eu gosto muito dela senão não estaria aqui tratando dela.
- Ela tem estado bem? Você e o Nick conversaram hoje?
- Nós estivemos falando antes de ela acordar. Ele quis esperar por ela.
- Houve alguma coisa entre vocês? - perguntou Vanessa.
- Não, Nessa. Não houve nada. - mentiu Demi, tentando o mais que pôde parecer sincera. Vanessa não entendeu a mentira e olhou triste para Demi.
- A minha prima tem piorado a cada dia. Primeiro a minha prima Camilla doente graças ao Zac, agora é a Selena por causa da doença e também do Joe. Ela precisa urgentemente de se estabilizar. Ajude ela, Demi. Eu confio em você. Sabe que eu adoro o seu trabalho e que somos amigas à algum tempo.
- Com certeza, Nessa. É o que tenho feito todos os dias da minha vida profissional. E tenho gosto de ajudar a sua prima.
- Eu sei que sim. Vou ter que ir agora, Demi. Quero ver como anda Verona. Até breve.
Vanessa se despediu de Demi e entrou de novo para o carro, conduzindo até Verona.

Pronto.
Depois de ter colocado o Nick como um possível vilão, agora faço o mesmo com a Demi. Mas não se iludem que muita coisa pode ser mentira.

Beijos.